COMEMDV: Conheça um pouco mais sobre as propostas desta Convenção

Extrato do Regimento interno da COMEMDV
😍
Parágrafo 2º do Art 1º do Regimento Interno da COMEMDV – Deixamos bem claro que nenhum ministro, igreja ou ministério independente é obrigado a se filiar em qualquer convenção, porém juntos podemos crescer de maneira saudável nas áreas espiritual, teológica e administrativa.
 
Art. 2º – São propósitos desta Convenção:
I – Reviver e continuar a história das igrejas evangélicas, tendo a Bíblia como regra de fé e prática e os princípios éticos, morais e espirituais do Evangelho Pentecostal.
II – Ser um fórum fraterno e voluntário de reflexão, estratégias e cooperação, priorizando a evangelização e missões no Brasil e até os confins da Terra, respeitando o papel e missão da Igreja.
III – Congregar, promover a comunhão e o ministério cristão evangélico.
IV – Promover a responsabilidade social da Igreja, especialmente nas áreas da educação, cultura e comunicação.
V – Proporcionar orientação e apoio de ordem ministerial, espiritual, eclesiástico, jurídico, contábil e administrativo.
VI – Oferecer as pequenas igrejas e ministérios independentes uma estrutura para capacitação ministerial.
VII – Apoiar o desenvolvimento e crescimento das igrejas e ministérios independentes.
VIII – Promover, através do Instituto Evangélico Moriá Logos, a formação, qualificação e educação continuada dos convencionados, dos obreiros e membros das igrejas e ministérios.
CAPÍTULO II – Dos Filiados: Direitos e Deveres
Art. 3º – São filiados desta Convenção após receberem parecer favorável do Conselho Geral:
I – Ministros do evangelho que solicitarem voluntariamente a sua inscrição, desde que comprovem ser devidamente ordenados ou consagrados, possuidores de carta de apresentação expedida por sua igreja ou ministério;
II – Ministérios que solicitarem voluntariamente a sua inscrição através do seu representante legal;
III – Igrejas evangélicas quando solicitadas através do seu representante legal.
Parágrafo 1º – Consideram-se ministros do evangelho os cargos eclesiásticos de pastor, evangelista e presbítero.
Parágrafo 2º – Os ministros que não possuem documento de ordenação/consagração poderão obtê-lo pela Convenção após análise do Conselho Geral.
Parágrafo 3º – Todos os filiados têm iguais direitos e deveres, não havendo categorias com vantagens especiais. 
Art. 4º – São direitos dos filiados da Convenção desde que estejam em situação regular:
I – Participar das Assembleias Convencionais e de todas as programações promovidas pela Convenção, com direito à voz e voto;
II – Ocupar cargos e funções do Conselho Geral;
III – Receberem, gratuitamente, documentos pertinentes, com exceção dos documentos de ordenação/consagração;
IV – Assistir às reuniões do Conselho Geral.
Art. 5º – São deveres dos filiados da Convenção:
I – Obedecer à Bíblia, ao Credo doutrinário das igrejas evangélicas e às normas convencionais;
 II – Participar das Assembleias Convencionais e renovar a sua inscrição anualmente, no mês de
janeiro, com o respectivo pagamento da taxa de renovação.

 

Parágrafo único
Perderá a condição de filiado o convencional que descumprir as normas deste artigo, assegurada a ampla defesa e contraditório.

……………

Art. 16 – Depois de recebidos na Convenção os ministros terão direito a seguinte documentação:
I – Credencial;
II – Ata de recebimento;
III – Certificado de Filiação.
Art. 17 – Depois de recebidos na Convenção as igrejas e ministérios terão direito a seguinte documentação:
I – Certificado de Filiação;
II – Ata de recebimento;
III – Certificado de funcionamento.
……………


Fonte: Regimento interno da COMEMDV.

Comemdv

Apoiar o desenvolvimento e crescimento das igrejas e ministérios independentes.